BOUCHRA OUIZGUEN | HA!

HA! BOUCHRA OUIZGUEN Marrocos

-

\Dança
\Estreia nacional


SÁB 20 Setembro | 21h30
Teatro Virgínia – Torres Novas
50min | M/12 | 6€

 

A loucura, com as suas explosões inadequadas e desconcertantes exibições de emoção, é ponto de partida para Ha!, um espectáculo onde a hipnose dá lugar ao espanto.

Inspirada pela poesia de Jalal ad-Din Rumi, o grande poeta persa e místico Sufi fundador da ordem dos Dervishes e pela relação que todos mantêm, corpo e alma, com as suas obsessões, a nova criação de Bouchra explora a loucura. Mas que loucura? De génio ou sábia? Comum ou sanguinária? Isoladora ou libertadora? Amorosa ou desesperada? Delirante ou insensível? Na Europa, os loucos são trancados, diferentemente da cultura árabe, onde têm o seu lugar na sociedade. As palavras que os categorizam são tantas quanto as curas – canto, dança e rituais místicos, trance ou xamanismo.

A peça evoca uma imensa variedade de tradições. Prosseguindo o processo que levou ao sucesso de Madame Plaza (2011), Bouchra partiu em viagem por Marrocos, estudando diferentes regiões e formas de expressão. A inspiração para a sua linguagem, trabalho de corpo e sonoro é apreendida através das pessoas que conhece, nas montanhas, no deserto, em escolas ou em bares: aquelas que nos assustam e que nos repelem; aquelas que são estranhas a todos e até a si mesmas; aquelas cujo silêncio nos perturba; aquelas cujas vozes revelam seres fracturados; aquelas cujos corpos se dobram para revelar uma alma fraca ou um coração magoado; aquelas que, pela intensidade da sua presença, denunciam uma vida vivida contra corrente.

Os olhos demoram a adaptar-se à escuridão. Exalações rítimicas que parecem humanas dominam o espaço: “hey, ho” soa a canto, a ordem, a rugido. À medida que as pupilas dilatam e as luz emerge lentamente, quatro figuras, brancas e pulsantes, tornam-se visíveis. As intérpretes de Bouchra são portentosas e tranquilas cantoras Aïta de meia idade, vocalistas de cabaret simultaneamente célebres e desprezadas pela sua tradição marginal à sociedade marroquina. A sua voz destemida, rítmica e melódica, oscila entre o grito e o lamento.

O quarteto entrelaça-se, braços e corpos suavemente acarinhando e curando, do berço ao túmulo. E assim continua, conjurando e purgando experiências que vão desde a expressiva sexualidade a evocações fantasmagóricas do Sufismo, num equilíbrio delicado entre beleza e insanidade, onde a hipnose dá lugar ao espanto. Todos os espectáculos requerem bravura, mas talvez o mais corajoso seja aquele que logra abraçar o silêncio. Ha! cria espaço com som e abraça a quietude como elemento-chave.

\Conversa após o espectáculo

-

\Faça noite dupla!

Kevin Jean | La 36ème Chambre

-
\Participe!

Aula com Bouchra Ouizguen  DOM 21 Setembro

 -

Biografia

Bouchra Ouizguen (Ouarzazate, 1980) é a mais célebre jovem coreógrafa marroquina. Auto-didacta, bebe dos coreógrafos franceses Bernardo Montet, Boris Charmatz e Mathilde Monnier. Entre 1995-2000, foi solista de danças orientais. Em 2002, cria a Cia Anania com Taoufiq Izeddiou e Saïd Aït El Moumen e em 2011 funda a Compagnie O, com a qual cria Voyage Cola e Ha!. Pelo meio, co-organiza os Rencontres chorégraphiques em Marrakesh e apresenta os seus solos e peças de grupo um pouco por todo o mundo.

 

Ficha artística

Coreografia Bouchra Ouizguen
Canto/Interpretação Bouchra Ouizguen, Kabboura Aït Ben Hmad, El Hanna Fatéma, Naïma Sahmoud
Desenho de luz Jean Gabriel Valot
Investigação Otman El Mernissi
Produção Compagnie O
Co-produção Festival Montpellier Danse 2012, Les Spectacles Vivants – Centre Pompidou, Kunstenfestivaldesarts, Fabbrica Europa, Institut Français / Minister of Foreign and European Affairs (Paris)

 

IMPRENSA

 

Galeria de Fotos

 

 

PARA PROFISSIONAIS

Fanny Virelizier
e bouchra.ouizguen@gmail.com
m
(+33) 672 996 220

 

Apoio à apresentação